ESCCA

AcronymDefinition
ESCCAEvanston School Children's Clothing Association (Evanston, IL)
ESCCAEuropean Society for Clinical Cell Analysis (The Netherlands)
ESCCAEstonian Seminatural Community Conservation Association (est. 1997)
References in periodicals archive ?
A analise de conteudo tematico possibilitou a organizacao e apresentacao dos seguintes aspectos: dados institucionais, contexto e perfil dos Agentes sociais, conhecimento sobre o sistema de protecao, percepcao da ESCCA, perspectivas dos Agentes sociais sobre o enfrentamento da exploracao sexual comercial de criancas e adolescentes.
Para se verificar o conhecimento dos participantes sobre legislacoes protetivas, indagou-se o Brasil havia ratificado convencoes, tratados, protocolos internacionais relacionados a protecao dos direitos das criancas e adolescentes em situacao de ESCCA. Dos entrevistados, 17 responderam que sim, tres nao souberam, e tres nao responderam.
Para se identificar a percepcao que os operadores tem acerca da ESCCA, abordou-se o assunto a partir de tres questoes: (a) aspectos negativos e positivos da ESCCA; (b) a forma de como se efetivar a protecao; (c) contribuicao das criancas e adolescentes para o enfrentamento da ESCCA.
Sobre a prevencao da ESCCA, responderam que se poderia: implementar politicas publicas; medidas educacionais; articular instituicoes; resolver a questao social; melhorar a renda; acabar a pobreza; fazer mais denuncias para torna-la visivel; investir na familia; criar leis mais rigidas; preparar melhor os conselheiros tutelares e divulgar o ECA nas escolas.
Perspectivas dos Atores Sociais em Relacao ao Enfrentamento da ESCCA
Indagados se a entidade na qual trabalham tem a obrigacao de participar do enfrentamento da ESCCA, dos 23 participantes cujos questionarios foram considerados validos, 21 pessoas responderam que sim e duas pessoas responderam que nao.
Trata-se, de acordo com Santos (2004), de entender o fenomeno da ESCCA a partir da perspectiva do abusador e nao mais somente da perspectiva da vitima, ou seja, da crianca e adolescente abusada/explorada.
Neste estudo, foram analisadas quatro topicos em especial: 1) concepcao de infancia e adolescencia, 2) principais motivos relacionados a ESCCA, 3) principais motivos pelos quais alguns homens preferem fazer sexo com criancas e/ou adolescentes e 4) principais motivos pelos quais alguns caminhoneiros afirmaram nao ter saido com criancas/ adolescentes.
De acordo com Davidson (2001), a falta de preocupacao com a idade das adolescentes representa uma caracteristica comum aos clientes da ESCCA. Nessa pesquisa, muitos caminhoneiros afirmaram que nao fazem a pergunta sobre a idade das criancas/adolescentes ("Ele nao sabia a idade dela, mas nao perguntou.
Essas respostas foram as unicas que relacionaram o comercio sexual infantil com a existencia de uma "demanda" por esse servico, fato que e quase sempre negligenciado na compreensao do fenomeno da ESCCA. Esta tem sido tradicionalmente compreendida a partir dos fatores que motivam a formacao da "oferta" dos servicos sexuais, ou seja, pela resposta a pergunta: "Por que meninas se prostituem?", bem como pela investigacao de apenas uma das partes envolvidas nesse processo, que e a menina ou adolescente explorada.
Nesse sentido, da-se um passo a frente ao entender os condicionantes da ESCCA a partir da perspectiva desse grupo social.
Durante a realizacao das entrevistas, os relatos estiveram centrados muito mais na figura dos caminhoneiros como aqueles que presenciam a situacao de ESCCA e que ja sairam (ou nao sairam) com criancas/adolescentes.